Cine PE divulga filmes selecionados
“Meu Tio e o Joelho de Porco”, de Rafael Terpins

Uma das maiores vitrines da produção audiovisual brasileira, o Cine PE – Festival do Audiovisual chega a sua 22ª edição com programação plural, diversidade de linguagens e narrativas. De 29 de maio a 4 de junho, o tradicional Cinema São Luiz será, novamente, o palco para as exibições de produções de todo o país. Dos 503 inscritos para as mostras competitivas, número que supera as inscrições de 2017, que recebeu 473 candidatos, seis longas de ficção e documentários estarão juntos na Mostra Competitiva de Longas-Metragens, oito títulos na Mostra Competitiva de Curtas-Metragens Pernambucanos e dezesseis na Mostra Competitiva de Curtas-Metragens Nacionais.

Os seis longas nacionais selecionados para a mostra competitiva foram “Os Príncipes”, de Luiz Rosemberg Filho (RJ); “Henfil”, de Angela Zoé (RJ); “Meu Tio e o Joelho de Porco”, de Rafael Terpins (SP); “Marcha Cega”, de Gabriel Di Giacomo (SP); “Christabel”, de Alex Levy-Heller (RJ); e “Dias Vazios”, de Robney Bruno Almeida (GO).

Fora de competição, a Mostra Hors-Concours recebe na noite de abertura a estreia nacional do filme “Mulheres Alteradas”, de Luis Pinheiro (SP), distribuído pela Paris Filmes, com elenco estrelado por nomes como Deborah Secco, Alessandra Negrini, Maria Casadevall, Monica Iozzi, Sérgio Guizé e Daniel Boaventura. O filme é uma comédia adaptada dos quadrinhos de Maitena, onde os caminhos de quatro mulheres se cruzam em situações típicas do universo feminino da autora. Na mesma noite, será exibido o curta em animação “Desculpe, me Afoguei”de Hussein Nakhal e David Hachby (RJ), também dentro da mostra Hors-Concours. Esse curta é uma coprodução internacional da ONG Médicos Sem Fronteiras e do Studio Kawakeb, de Beirute, no Líbano. Foi inspirado em uma carta, alegadamente encontrada junto ao corpo de uma pessoa que se afogou no mar Mediterrâneo.

Realizado por Sandra Bertini, diretora da produtora BPE, o 22º Cine PE tem na curadoria dos filmes três profissionais ligados ao audiovisual. A consultora e representante comercial da empresa CiaRio Edina Fujii, reconhecida e responsável por ações que revolucionaram a produção cinematográfica nacional, além do crítico e programador do circuito Cine Materna Edu Fernandes e do crítico e palestrante de cinema Danilo Calazans.

O Júri Oficial de cada categoria das mostras competitivas será constituído por cineastas, críticos, pesquisadores e artistas com comprovada experiência, que serão responsáveis por indicar os vencedores para as seguintes categorias do Troféu Calunga: categoria de longa-metragem (Melhor Filme de longa-metragem, Melhor Direção, Melhor Ator, Melhor Atriz, Melhor Ator Coadjuvante, Melhor Atriz Coadjuvante, Melhor Roteiro, Melhor Fotografia, Melhor Direção de Arte, Melhor Trilha Sonora, Melhor Som, Melhor Montagem); categoria de curta-metragem (Melhor Filme, Melhor Direção, Melhor Ator, Melhor Atriz, Melhor Roteiro, Melhor Fotografia, Melhor Direção de Arte, Melhor Trilha Sonora, Melhor Som, Melhor Montagem.

Além das categorias selecionadas pelo Júri Oficial, o público irá selecionar os premiados pelo Júri Popular. Este ano, pela primeira vez, o público poderá opinar por meio do aplicativo oficial do festival, que estará disponível a partir do dia 15 de maio nas plataformas Android e IOS. O app vai trazer todas as notícias sobre o Cine PE, além de sinopses dos filmes, fichas técnicas e programação completa do festival.

Nesta 22ª edição, o festival homenageia as atrizes Cássia Kis Magro, pela sua competência e importância para o Audiovisual (cinema e TV), e Kátia Mesel, pelos 50 anos de carreira e contribuição para o Cinema Pernambucano.

Como parte das homenagens a Kátia Mesel, o Cine PE promoverá a Mostra Kátia Mesel: 50 anos de Audiovisual, no dia 3 de junho, a partir das 14h, no Cinema São Luiz, com entrada franca. Na ocasião, serão exibidos oito filmes mais conhecidos da diretora.

Além da atriz e da diretora, o festival promove este ano uma homenagem institucional a Box Brazil, a maior programadora independente brasileira e única independente multicanal. Com distribuição no Brasil, Estados Unidos, Europa e África, a empresa conta com cinco canais em seu portfólio.

O Cine PE também abrirá espaço para a literatura com o lançamento do Livro “História do Cinema de Animação em Pernambuco”, do doutor em Comunicação, professor e diretor Marcos Buccini. O livro é uma pesquisa inédita que mapeia a produção cinematográfica de animação do Estado de Pernambuco e trata de assuntos como o impacto das tecnologias na produção cinematográfica, o perfil dos autores, suas opções estéticas e conceituais e dados do mercado. O lançamento será no hall de entrada do Cinema São Luiz, todos os dias, onde haverá um local para venda e autógrafo.

Os alunos das escolas públicas municipais e estaduais, mais uma vez, terão duas sessões especiais dentro da programação do Cine PE. A Mostra Infantil, fora de competição, irá exibir os filmes “Detetives do Prédio Azul (D.P.A. – O Filme)”, de André Pellenz (Brasil), e “A Bailarina”, de Eric Summer e Eric Warin (França), nas manhãs dos dias 31 de maio e 1 de junho, respectivamente, no Cinema São Luiz.

Este ano, o festival, em parceria com o PortoMídia, oferece oWorkshop de Ilustração Digital aplicada ao Ambiente Cinematográfico, ministrado pelo professor Erick Frantto, professor nas áreas de Humanas, Designer Gráfico e ilustrador. Será realizado nos dias 2 e 3 de junho, das 14h às 18h, no Hotel Nobile Executive, em Boa Viagem. Os interessados deverão se inscrever, por meio do SYMPLA, no período de 14 a 24 de maio. Não será cobrada nenhuma taxa no ato da inscrição e serão disponibilizadas 25 vagas.

Todas as sessões e a cerimônia de encerramento serão no Cinema São Luiz, um dos últimos grandes cinemas de rua do país, construído em 1952, em Boa Vista, às margens do Rio Capibaribe. Tombado como patrimônio histórico e revitalizado em 2008, o cinema tem capacidade para mil pessoas. A bilheteria do festival será de responsabilidade do São Luiz e o faturamento, revertido para a manutenção do espaço.

O QG do festival será no Hotel Nobile Executive, em Boa Viagem, onde acontecerão os debates e Workshop oferecido pelo PortoMídia. O hotel também vai receber os convidados e a imprensa especializada de todo o Brasil. Os debates dos filmes serão sempre na manhã seguinte à exibição.

A edição de número 22 do Cine PE traz ainda uma grande novidade com o propósito de ampliar os horizontes do festival: o Cine PE Mercado e Seminários.

O Cine PE Mercado será mais um grande encontro de players do mercado audiovisual, para compra e venda de conteúdos audiovisuais (produtores, distribuidores e exibidores de cinema, televisão aberta, televisão por assinatura, streaming, internet e games). Todo um esforço de produção do evento será feito para dar, sobretudo, espaços para os players regionais, do Norte, Nordeste, Centro-Oeste e Sul, haja vista que outros grandes mercados se dão no Sudeste do Brasil.

Já o Cine PE Seminários será focado na programação de discussões temáticas sobre o mercado do audiovisual, em sintonia com as ações do Cine PE Mercado.

Os vencedores das mostras competitivas de curtas e longas-metragens serão contemplados com o Troféu Calunga. A “Calunga” representa a boneca carregada pela sacerdotisa dos cultos afro-brasileiros durante a apresentação do Maracatu. Ela faz parte das cerimônias religiosas, onde recebe o nome de uma princesa e representa uma divindade expressando um objeto de força e proteção. O Troféu Calunga é uma criação da artista plástica Juliana Notari. Os homenageados do Cine PE são contemplados com a Calunga de Ouro e os filmes vencedores, com a Calunga de Prata.

De acordo com o regulamento do Cine PE, são 12 categorias de prêmios para a Mostra Competitiva de Longas-Metragens: Melhor filme, direção, roteiro, fotografia, montagem, edição de som, trilha sonora, direção de arte, ator coadjuvante, atriz coadjuvante, atriz e ator. Os filmes das Mostras Competitivas de Curtas-Metragens Nacionais e Pernambucanos serão julgados em dez categorias: Melhor filme, direção, roteiro, fotografia, montagem, edição de som, trilha sonora, direção de arte, ator e atriz.

Além da premiação oficial, o Canal Brasil oferece o Prêmio Canal Brasil de Curtas – um júri composto por jornalistas e críticos de cinema escolhe o melhor filme de curta-metragem em competição, que, além de ser exibido na grade de programação, recebe o Troféu Canal Brasil e R$ 15 mil.

O Prêmio CiaRio vai premiar as melhores produções nas três mostras, com locação de equipamentos de Iluminação, acessórios e maquinaria da empresa Naymar. Já o Prêmio Portomídia irá conceder 120 horas em laboratórios de pós-produção em imagem e/ou som para o diretor do melhor filme da Mostra Curta Pernambuco, a ser escolhido pelo Júri Oficial do evento.

Relacionados

Compartilhe

(0) Comente

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>