Maior mostra já realizada na América do Sul reúne filmes do Estúdio Hammer
"As Noivas de Drácula", de Terance Fisher

A mostra Estúdio Hammer – A Fantástica Fábrica de Horror exibirá 30 longas-metragens, produzidos entre as décadas de 1950, quando foram lançados os primeiros filmes de terror do estúdio, passando pelo auge dos anos 1960, até o início da sua decadência nos anos 1970. São filmes que tem uma legião de fãs no mundo todo e que são, até hoje, cultuados, copiados, parodiados e reverenciados. Entre os fãs de carteirinha estão cineastas como Quentin Tarantino, Guillermo Del Toro, Steven Spielberg, David Lynch, Tim Burton e Martin Scorsese que, quando era adolescente, não perdia um título do estúdio e declarou: “quando víamos o logotipo da Hammer, sabíamos que era um filme muito especial, uma experiência surpreendente”.

As sessões dos filmes serão nos cinemas dos CCBBs. No Rio de Janeiro, as datas são de 6 de janeiro a 1º de fevereiro. Serão realizados também eventos on-line: uma masterclass (21/01, 19h) com o cineasta Rodrigo Aragão, a maior referência em filme de terror no Brasil; dois debates (28/01, 19h; segunda data a confirmar); e um curso de três aulas com o curador Eduardo Reginato (27/01 e 3/02, 19h; 10/02, 20h). Os links para as atividades on-line, com capacidade para 500 pessoas, serão divulgados na página www.facebook.com/mostraestudiohammer. Toda a programação é gratuita.

Os curadores Eduardo Reginato e Danilo Crespo destacam, entre os títulos da mostra, o primeiro filme do Estúdio Hammer com o Conde Drácula, Vampiro da Noite (Horror of Dracula, 1958), com os atores que se tornariam os grandes astros do gênero, Peter Cushing e Christopher Lee; uma versão do clássico de Sherlock Holmes O Cão dos Baskervilles (The Hound of the Baskervilles, 1959); os filmes de múmias e monstros de Frankenstein que tem um toque especial, diferente dos clássicos americanos, como A Maldição da Múmia (The Curse of the Mummy’s Tomb, 1964) e O Horror de Frankenstein (The Horror of Frankenstein, 1970); além de Atração Mortal (The Vampire Lovers, 1970), uma história de vampiras sensuais que aterrorizam um vilarejo.

O Estúdio Hammer era uma pequena produtora britânica de produção familiar que dominou o mercado global de terror e continua sendo altamente influente. A Hammer ressuscitou os ícones góticos descartados por Hollywood após a II Grande Guerra em filmes elegantes, sensuais e violentos que capturaram a essência da forma literária original e funcionaram como reflexos sombrios do drama convencional, da mesma forma que narrativas góticas inverteram o realismo oitocentista. Embora a idade de ouro do Hammer tenha terminado no início dos anos setenta, a marca continua sendo sinônimo de horror e o estúdio, muito parecido com Drácula, saiu recentemente do túmulo e voltou a produzir novos filmes.

Durante 40 anos, o Estúdio Hammer produziu mais de 300 obras. Seus filmes lançaram estrelas que se tornaram lendas do cinema, foram dirigidos por grandes cineastas e são marcados por compositores talentosos. O legado do Hammer ajudou a revitalizar todo um gênero de histórias, deu origem a alguns dos maiores talentos da Grã-Bretanha e continuou a inspirar outros filmes como The Rocky Horror Picture ShowThe Mummy (versões de Brendan Fraser e Tom Cruise), Um Sonho de Liberdade e muitos outros.

A programação da mostra pode ser conferida em www.bb.com.br/cultura.

 

Mostra Estúdio Hammer – A Fantástica Fábrica de Horror
CCBB RJ – 6 de janeiro a 1º de fevereiro de 2021
CCBB SP – 20 de janeiro a 8 de fevereiro
CCBB DF – 2 a 21 de fevereiro

Relacionados

Compartilhe

(0) Comente

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>