“Henfil” é consagrado melhor filme do Cine PE
© Felipe Souto Maior

A 22ª edição do Cine PE – Festival do Audiovisual chegou ao fim na noite desta terça-feira (5), no Cinema São Luiz, e consagrou o documentário “Henfil” como o Melhor Longa-Metragem escolhido pelo Júri Oficial do evento e pelo Júri Popular. Dirigido por Angela Zoé, a trama resgata a história de Henrique de Souza Filho (1944-1988), cartunista, jornalista e escritor mineiro mais conhecido como Henfil.

O falso documentário “Vidas Cinzas”, de Leonardo Martinelli, ganhou o prêmio de Melhor Curta Nacional, enquanto que na Mostra Competitiva de Curtas Pernambucanos o vencedor foi “Uma Balada para Rocky Lane”, dirigido por Djalma Galindo. O documentário “Marias”, de Yasmin Dias, e as animações “Insone”, de Débora Pinto e Breno Guerreiro, e “Plantae”, de Guilherme Gehr, receberam Menção Honrosa do júri.

O Júri Oficial do Cine PE foi formado pelo produtor executivo e gestor em marketing cultural Emerson Rodrigues; a diretora, roteirista e produtora de cinema Luci Alcântara; o ator, diretor, produtor cultural e professor Sérgio Fidalgo; a produtora e diretora Tete Moraes; o engenheiro, curador, pesquisador e preservador da Cinemateca Cine Royal, Luiz Cardoso Ayres Filho; o diretor do Festival de Cinema de Gramado entre 1978 e 2000, Esdras Rubin; o diretor Francisco Ramalho Junior; e a publicitária Jal Guerreiro.

O longa-metragem carioca “Os Príncipes”, de Luiz Rosemberg Filho, também foi um dos grandes destaques desta edição, levando para casa seis Calungas de Prata, incluindo as de Melhor Fotografia, Edição de Som e Trilha Sonora.

JÚRI POPULAR – Este ano, pela primeira vez, o público pôde eleger seus filmes favoritos nas três mostras competitivas do festival por meio de um aplicativo para smartphone. O melhor curta pernambucano foi “Edney”, de João Roberto Cintra, enquanto a animação “Plantae”, de Guilherme Gehr, foi eleita o melhor curta nacional. O melhor longa-metragem, para o Júri Popular, foi “Henfil”, de Angela Zoé.

PRÊMIO DA CRÍTICA – Composto por Diego Olivaras, do portal Yahoo (SP); Clarissa Kuschnir, Revista Preview (SP); Francisco Carbon, Jornal do Brasil (RJ);  e Breno Pessoa do Diário de Pernambuco (PE), a crítica especializada concedeu a Calunga de Melhor Longa para “Christabel”, de Alex Levy-Heller. O prêmio de Melhor Curta Nacional foi para “Abismo”, de Ivan de Angeli, e o de Melhor Curta Pernambucano foi para “Seja Feliz”, de Diego Melo. O documentário “Universo Preto Paralelo”, de Rubens Passaro, recebeu menção honrosa da crítica, por fazer uma ponte entre histórias de violência e repressão desde a época da escravatura, passando pela Ditadura Militar, até os dias atuais.

PRÊMIO CANAL BRASIL DE CURTAS – Com júri formado por Ismaelino Pinto, do jornal O Liberal (PA); Francisco José Carbone, do Jornal do Brasil (RJ); Clarissa Kuschnir,  Revista Preview (SP); João Victor Figueira, do site Adoro Cinema (RJ), Diego Olivaras, do portal Yahoo (SP); e Barbara Demerov, do site Cinematecando (SP), o Prêmio Canal Brasil elegeu como melhor curta “Universo Preto Paralelo”, de Rubens Passaro. Com o objetivo de estimular a nova geração de cineastas, o Canal Brasil oferece um troféu e R$ 15 mil para o melhor filme de curta-metragem, que também é exibido em sua grade de programação. Além disso, o curta vencedor se classifica para concorrer ao Grande Prêmio Canal Brasil de Curtas-Metragens, no valor de R$ 50 mil.

PRÊMIO CIA RIO – A CiaRio vai premiar as três produções escolhidas pelo Júri Oficial nas três mostras (o carioca “Vidas Cinzas”, o pernambucano “Uma Balada para Rocky Lane” e o documentário carioca “Henfil”). Os filmes eleitos ganharão locação de equipamentos de iluminação, acessórios e maquinaria da empresa NAYMAR.

PRÊMIO PORTOMÍDIA – O Porto Mídia irá conceder 120 horas em laboratórios de pós-produção em imagem e/ou som para Djalma Galindo diretor de “Uma Balada para Rocky Lane”, escolhido pelo Júri Oficial do evento como Melhor Curta pernambucano.

Confira lista completa de premiados:

MOSTRA COMPETITIVA DE CURTAS-METRAGENS PERNAMBUCANOS

Melhor Filme – “Uma Balada para Rocky Lane”

Melhor Direção – Diego Melo (“Seja Feliz”)

Melhor Roteiro – Fabio Ock (“Seja Feliz”)

Melhor Fotografia – Henrique Spencer (“Frequências”)

Melhor Montagem – Marcos Buccini (“O Consertador de Coisa Miúdas”)

Melhor Edição de Som – Adalberto Oliveira (“Frequências”)

Melhor Trilha Sonora – Neilton Carvalho (“O Consertador de Coisas Miúdas”)

Melhor Direção de Arte – Lia Letícia (“Frequências”)

Melhor Ator – Heraldo Carvalho (“Edney”)

Melhor Atriz – Roberta Mharciana (“Cara de Rato”)

 

MOSTRA COMPETITIVA DE CURTAS-METRAGENS NACIONAIS

Melhor Filme – “Vidas Cinzas”

Melhor Direção – Klaus Hastenreiter (“Não Falo com Estranhos”)

Melhor Roteiro – Rubens Passaro (“Universo Preto Paralelo”)

Melhor Fotografia – Ivanildo Machado (“Sob o Delírio de Agosto)

Melhor Montagem – Pedro de Aquino (“Vidas Cinzas”)

Melhor Edição de Som – Rafael Vieira (“Abismo”)

Melhor Trilha Sonora – Alexsandra Stréliski e Ludovico Einaudi (“Plantae”)

Melhor Direção de Arte – Rachel Oleksy (“Teodora Quer Dançar”)

Melhor Ator – Jurandir de Oliveira (“Abismo”)

Melhor Atriz – Mariana Badan (“Teodora quer Dançar”)

 

MENÇÕES HONROSAS

“Marias” – Pela relevância do tema apresentado através de depoimentos reais, emocionantes e contundentes.

“Plantae” – Pela atualidade e importância do tema abordado lindamente de forma simbólica e poética.

“Insone” – Pela capacidade de síntese na narração em tão pouco tempo, de uma história de aventura do imaginário infantil.

 

MOSTRA COMPETITIVA DE LONGAS-METRAGENS:

Melhor Filme – “Henfil”

Melhor Direção – Angela Zoé (“Henfil”)

Melhor Roteiro – Angela Zoé e Gabriela Javier (“Henfil”)

Melhor Fotografia – Alisson Prodlik (“Os Príncipes”)

Melhor Montagem – João Rodrigues e Indira Rodrigues (“Henfil”)

Melhor edição de som – Marcito Vianna (“Os Príncipes”)

Melhor Trilha Sonora – Gustavo Jobim (“Os Príncipes”)

Melhor Direção de Arte – Letycia Rossi (“Dias Vazios”)

Melhor Ator Coadjuvante – Tonico Pereira (“Os Príncipes”)

Melhor Atriz Coadjuvante – Carla Ribas (“Dias Vazios”)

Melhor Ator – Ex-Aequo: Igor Cotrim (“Os Príncipes”) e Arthur Ávila (“Dias Vazios”)

Melhor Atriz – Patrícia Niedermeier (“Os Príncipes”)

 

PRÊMIO DA CRÍTICA

Melhor Longa-Metragem - “Christabel”

Melhor Curta Nacional – “Abismo”

Melhor Curta Pernambuco – “Seja Feliz”

 

PRÊMIO CANAL BRASIL

Melhor Curta: “Universo Preto Paralelo” (SP)

Relacionados

Compartilhe

(0) Comente

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>