Cinemark amplia alcance do Projeta Brasil em sua 20ª edição

Por Maria do Rosário Caetano

O Projeta Brasil Cinemark, um dia inteiro dedicado à reprise de filmes brasileiros em todos os cinemas da poderosa rede exibidora, chega à sua vigésima edição nesta terça-feira, 12 de novembro, e promove extensão destinada ao público infanto-juvenil (Projeta Brasil Nova Geração), no sábado, dia 16.

A principal característica destes dois dias dedicados ao cinema brasileiro, este ano, é que, além de ingressos a preços populares (R$4 reais), cada espectador ganhará um combo com minipipoca salgada e refrigerante.

Quem ainda não viu “Bacurau” poderá fazê-lo, pois o longa pernambucano (700 mil espectadores) é um dos 44 títulos (entre os lançados em 2019) selecionados para esta vigésima edição. Além do filme de Mendonça e Dornelles, premiado em Cannes, há que se destacar “Rasga Coração”, de Jorge Furtado, “Simonal”, de Leonardo Domingues, “Morto Não Fala”, de Dennison Ramalho, “Minha Fama de Mau”, de Lui Farias, “Mussum, um Filme do Cacildis”, de Susana Lira, “Hebe, a Estrela do Brasil”, de Maurício Farias, “Tito e os Pássaros”, animação da trinca Steinberg, Catoto e Bitar, “Chorar de Rir” e “O Amor Dá Trabalho”, ambos protagonizados pelo destronado Leandro Hassum, “O Grande Circo Místico”, de Cacá Diegues, “Cine Holliudy 2: A Chibata Sideral”, de Halder Gomes, “Maria do Caritó”, de João Paulo Jabur, “Paisagem: Um Olhar de Roberto Burle Marx, de João Vargas, “Kardek”, de Wagner Assis, “Alma Imoral”, de Sílvio Tendler, “Marés”, de João Paulo Procópio, e, claro, o blockbuster verde-amarelo do ano, a comédia “Minha Vida em Marte”, que uniu o midas Paulo Gustavo à atriz Mônica Martelli. E vendeu mais de 5 milhões de ingressos.

Amantes do futebol poderão desfrutar de “Santos de Todos os Gols”, de Lina Chamie (sobre o Peixe praiano), “A História de um Sonho – Todas as Casas do Timão” (sobre o Corinthians), e de “Onde a Moeda Cai em Pé – A História do SPFC”, de André Plihal e Pedro Jorge (sobre o tricolor paulista).

Para comemorar seu vigésimo aniversário, o projeto da Cinemark resolveu homenagear cinco blockbusters brasileiros, que ganharam a qualificação de “clássicos”: “Carlota Joaquina, a Princesa do Brazil”, de Carla Camurati, “Se Eu Fosse Você”, o primeiro da vitoriosa série comandada por Daniel Filho e protagonizada por Glória Pires e Tony Ramos, “Minha Mãe é uma Peça 1”, que transformou Paulo Gustavo (e sua personagem Dona Hermínia) no maior fenômeno de bilheteria do cinema brasileiro contemporâneo, “Divã”, estrelado por Lilia Cabral, que está também na safra 2019 com o simpático “Maria do Caritó”, e “Nosso Lar” (4 milhões de ingressos), a maior bilheteria da safra espírita, vertente do cinema brasileiro que conheceu sucessos robustos, como “Chico Xavier” (3,2 milhões), e sucessos relativos com “Bezerra de Menezes” e “Divaldo, o Mensageiro da Paz” (este na programação da safra 2019).

O Projeta Brasil Nova Geração terá sessões a partir de 10h (da manhã, claro!) em alguns cinemas da Rede Cinemark. Os escolhidos para a meninada são “Turma da Mônica – Laços”, de Daniel Rezende (2,2 milhões de ingressos), “Detetives do Prédio Azul: O Mistério Italiano” (1,2 milhão) e “Cinderela Pop” (480 mil).

Toda renda arrecadada pelo Projeta Brasil será destinada a programas e projetos de incentivo ao cinema brasileiro. Este ano, foram lançados cerca de 150 filmes nacionais, somando documentário e ficção. A Rede Cinemark, nestes dias 12 e 16, projetará 52 filmes, sendo 47 novos (44 para público adulto e três para público infanto-juvenil) e cinco adjetivados como “clássicos”. Todos os filmes passaram por salas de seus complexos de exibição.

A maioria dos filmes escolhidos destinam-se (pelo menos nas intenções) ao grande público. Títulos mais alternativos, caso de documentários, participaram do programa Projeta às Sete, fruto de parceria entre a Cinemark e a Elo Company, com sessões diárias às 19h.

Vejam os títulos que completam a lista do Projeta Brasil Ano 20: “Alaska”, “Diários de Classe”, “O Fantástico Patinho Feio” (sobre automobilismo em Brasília, nos anos 1970), “Vai que Cola – O Começo” (850 mil ingressos) , “Ela Disse, Ele Disse”, “Sai de Baixo 2 – O Filme”,“Eu Sou Brasileiro”, “Histórias Estranhas”, “Eu Sou Mais Eu”, “A Mata Negra”, A Mulher do meu Marido”, “A Pedra da Serpente”, “A Quarta Parede”, “Intimidade Entre Estranhos”, “O Filho do Homem”, “O Galã”, “O Segredo de Davi”, “Socorro! Virei uma Garota”, “Nada a Perder 2”, “Ultraje” e “Exterminadores do Além: Contra a Loira do Banheiro”.

Informações completas sobre os dois dias dedicados, pela Rede Cinemark, ao cinema brasileiro estão disponíveis no site www.cinemark.com.br.

Relacionados

Compartilhe

(0) Comente

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>