Coprodução Brasil-Chile, “Sangue do meu Sangue” é rodado no Distrito Federal

Foto © Flávio Oliveira/Moveo Filmes

A expressão “sangue do meu sangue” evoca laços profundos que transcendem a biologia, adentrando as complexidades das relações humanas. A metáfora do sangue como vínculo familiar ressoa em diversas culturas e tradições, simbolizando continuidade, herança e identidade. No entanto, o verdadeiro significado estende-se para além da linhagem física, refletindo a dualidade entre os laços sanguíneos e a capacidade humana de escolher sua própria família. Muitas vezes, as conexões mais profundas não são as ditadas pela biologia, mas aquelas forjadas pelos laços de amizade, lealdade e amor.

É nesse contexto que gira a história do filme “Sangue do meu Sangue”, selecionado pelo Edital FAC Brasília Multicultural II da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do DF, em 2021. O projeto marca a estreia em longa-metragens da diretora brasiliense Rafaela Camelo, codiretora dos curtas “As Miçangas”, ao lado de Emanuel Lavor, exibido na Berlinale 2023, e “O Mistério da Carne”, premiado como Melhor Filme nos festivais Biarritz Amérique Latine e New Directors New Films, e apresentado em Sundance em 2019. Com lançamento previsto para o segundo semestre de 2025, o filme, que é uma coprodução internacional fruto de uma colaboração entre Brasil, Chile e França, iniciou as gravações no dia 1º de novembro e segue com filmagens no Plano Piloto, em Sobradinho e Taguatinga até 11 de dezembro.

Protagonizado por um elenco infantil, o longa se desenrola em torno de Glória, uma garota de 10 anos, filha de uma enfermeira e mãe-solo, que carrega consigo uma cicatriz no peito devido a um transplante de coração que tornou-a o verdadeiro milagre de sua família. A reviravolta em sua trajetória acontece quando Sofia, uma garota, de 11 anos, chega ao hospital acompanhando sua bisavó, que está com Alzheimer. A partir daí, uma amizade especial floresce entre elas.

A jornada das duas amigas é impulsionada pela busca de Glória para descobrir a origem do coração que pulsa em seu peito, revelando a história de alguém que sacrificou a própria vida para dar a ela a oportunidade de viver. A trama adquire nuances sobrenaturais à medida que Glória passa a enxergar espíritos, incluindo a presença intrigante de um porco, que garante um inesperado destino para o enredo.

O elenco também conta com a participação das atrizes brasilienses Larissa Mauro, uma das fundadoras da Andaime Cia de Teatro e que atuou no filme “New Life S.A”, e Camila Márdila, conhecida por sua atuação no longa “Que Horas Ela Volta?”, ao lado de Regina Casé. Recentemente, Camila deu vida à Dedé Gadelha, na cinebiografia “Meu Nome é Gal”. Em “Sangue do meu Sangue”, seu primeiro trabalho gravado em Brasília, Camila vive Simone, a mãe de Sofia.

Aline Marta Maia é outro nome que integra o time de atrizes. Agraciada com o Prêmio de Melhor Atriz Coadjuvante nas edições 2022 e 2023 do Festival do Rio por suas atuações nos longas “Carvão” e “Pedágio”, de Carolina Markowicz, a atriz irá interpretar Francisca, a bisavó de Sofia.

A produção do filme está a cargo da Moveo Filmes e da Apoteótica Cinematográfica, duas produtoras independentes com sede em Brasília. A produtora chilena Pinda Producciones também integra a parceria. Em 2022, ela foi selecionada no Edital de Coprodução Minoritária do Fundo Chileno para Apoio ao Audiovisual, angariando 100 mil dólares, valor destinado ao pagamento dos profissionais chilenos que trabalham na produção de “Sangue do meu Sangue” – a diretora de fotografia, a 1ª assistente de câmera, a trilha sonora; além do licenciamento de músicas já existentes.

Em 2020, a obra também foi contemplada na linha Innovation Long Métrage, do fundo ALCA (Agence Livre Cinéma & Audiovisuel Nouvelle-Aquitaine), por meio da produtora francesa Vertical Production, recebendo um prêmio destinado ao desenvolvimento do filme.

A equipe, formada majoritariamente por figuras femininas, tanto no elenco quanto na produção, traz também como destaque a participação da chilena Francisca Sáez Agurto à frente da direção de fotografia. Com uma carreira em ascensão, já atuou como diretora de fotografia de cinco filmes na América Latina: “Selva” (2017) e “Terra das Cinzas” (2019), na Costa Rica, “Héctor” (2017) e “The Journey of Monalisa” (2019), no Chile, e “It Runs in the Family” (2022), na República Dominicana.

“Sangue do meu Sangue” foi selecionado em importantes eventos ao redor do mundo. Em 2019, o projeto foi o ganhador do prêmio principal do Laboratório de Projetos do Biarritz Amérique Latine Festival (BAL-LAB), na França. Ainda em 2019, participou do Encontro de Negócios do Talent Forum, no Sundance Institute, nos Estados Unidos. Em 2020, participou da 20ª edição do Produire au Sud, laboratório que prepara projetos do sul global para o financiamento internacional. Mais recentemente, em março de 2021, participou do Visitors Programme do European Film Market, que integra o Festival de Berlim.

No Brasil, “Sangue do meu Sangue” foi laureado com o Prêmio Cabíria de Roteiros, no Rio de Janeiro, em 2019, conferindo à diretora Rafaela Camelo a inclusão na rede de talentos do Projeto Paradiso. A produção também obteve reconhecimento no Workshop Fémis de Produção Criativa, promovido pela Firjan e Projeto Paradiso, no Rio de Janeiro, em 2019. Além disso, em 2020, foi destaque no 6º Icumam Lab, em Goiânia; no 2º Ateliê Finos Filmes, em São Paulo; no 4º SAPI – Mercado Audiovisual do Centro-Oeste, em Goiânia; e no BrLab em São Paulo, onde foi um dos 10 selecionados dentre 591 inscritos.

One thought on “Coprodução Brasil-Chile, “Sangue do meu Sangue” é rodado no Distrito Federal

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.