Trailers TV Revista de Cinema — 27 outubro 2015
O Último Poema

O documentário O Último Poema, da diretora Mirela Kruel, conta a história da gaúcha Helena Maria Balbinot Vicari. Helena guarda em casa, como um pequeno tesouro, uma pasta com correspondências endereçadas a ela, escritas pelo poeta mineiro Carlos Drummond de Andrade. Foram 24 anos de troca de cartas entre os dois, de 1962 a 1986.

O filme narra as evidências que levaram a personagem Helena a se corresponder durante tanto tempo com Carlos Drummond de Andrade. Através de sua narrativa, cria uma rede de memória que se desdobra em poesia, amizade, sonhos e desencontros.

Helena Maria é professora aposentada e apreciadora de poesia e, principalmente, de Carlos Drummond de Andrade, para ela, o maior poeta modernista brasileiro. Eles nunca se encontraram, mas se corresponderam durante os últimos 24 anos de vida de Drummond.

O filme passa a mostrar a vida desta mulher, que hoje, aposentada e recolhida em seu modesto cotidiano, ainda sonha e lamenta com o encontro real com o poeta que não aconteceu. Helena conta que conheceu a poesia de Drummond e fala sobre o que mudou na sua vida com a aproximação de seu íntimo com o mundo poético de Drummond.

A ideia do filme é mostrar como essa relação, mesmo à distância, desafiava, ainda que sutilmente, as convenções da época e do lugar onde vive Helena.

Outro olhar proposto no filme é o de aproximar o espectador do universo de Helena. Revelar a intimidade poética da personagem e mostrar como até hoje esse contato com Drummond permeia os sentimentos de Helena. De como essa relação marca a vida dela e vira referência também para os poemas que ainda hoje se aventura em escrever.

O filme provoca uma reflexão sobre a construção da memória dessa mulher, que encontra primeiro na poesia de Drummond e depois na correspondência com ele, uma alternativa para a vida monótona de professora e dona de casa do interior do Rio Grande do Sul. Longe de ser uma história saudosista, é um filme sobre a força da poesia, e sobre o sonho e as possibilidades transgressoras que os poemas proporcionam para a personagem.

A história tem ainda o mérito de revelar uma literatura inédita de cartas escritas por Carlos Drummond de Andrade, que certamente, aguardam para serem encontradas, mas que ainda repousam silenciosas em uma pequena cidade do Rio Grande do Sul.

O Último Poema estreia nos cinemas no dia 29 de outubro, em Porto Alegre (Cinema Guion) e no Rio de Janeiro (Cine Joia), e no dia 5 de novembro, em São Paulo e Belo Horizonte. As datas escolhidas para o lançamento do filme são próximas ao aniversário do poeta, em caráter de homenagem, já que no dia 31 de outubro ele completaria 113 anos.

Relacionados

Compartilhe

(0) Comente

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>