Livros — 15 janeiro 2020
Mulherzinhas

Inspirada por sua própria história, a escritora americana Louisa May Alcott escreveu o seu maior sucesso. Mulherzinhas (Ed. José Olympo), publicado pela primeira vez em 1868, descreve a vida da família March, que muda completamente após a saída do pai para a Guerra Civil Americana. As irmãs Meg, Jo, Beth e Amy, acostumadas com os prazeres de uma vida luxuosa, se obrigam a enfrentar a pobreza junto à mãe, que trabalha para sustentar a casa.

O amor e a união para enfrentar o momento é certamente emocionante, mas as diferenças entre elas não passariam despercebidas. Meg, a irmã mais velha, era nitidamente vaidosa e com um jeito quase maternal. Com roupas sempre confortáveis, cabelos presos e a “má sorte” de ter nascido mulher, a aspirante a escritora, Jo, era seu oposto. Enquanto Beth, dona de uma expressão tranquila e voz tímida, manifestava todo seu mistério nas notas de piano. Já a caçula e mimada Amy tinha um talento invejável para desenhos e crochê.

As aventuras das irmãs, a saudade do pai que está na guerra, as doenças da época e a dificuldade que quatro mulheres enfrentavam naquela sociedade são reveladas para o leitor, através de uma descrição delicada, emocionante e atemporal. O clássico demonstra a importância do afeto e a força feminina em meio as adversidades vividas no século XIX.

A obra de Louisa foi tão aclamada, que o público pediu mais sobre a história da família March. Então, no ano seguinte, a escritora publicou Good Wives. Hoje, Mulherzinhas coleciona diversas adaptações, incluindo filmes silenciosos, ópera e um musical na Broadway. A adaptação cinematográfica de Greta Gerwig, Adoráveis Mulheres, concorre ao Oscar 2020 em seis categorias.

Sobre a autora: Louisa May Alcoot nasceu na Pensilvânia, em 1832, e foi a segunda das quatro filhas de Abba May Alcott. As condições financeiras da família fizeram a escritora trabalhar também como professora, costureira e empregada doméstica. Seu primeiro livro de sucesso, Hospital Sketches, foi publicado em 1863, inspirado em sua história como voluntária do Exército durante a Guerra Civil Americana. Conhecida por participar ativamente no movimento pelo sufrágio feminino e da temperança, Alcoot foi a primeira mulher a registrar-se para votar em Concord.

Mulherzinhas
Autora: Louisa May Alcoot
Tradução: Maryanne Linz
Editora: José Olimpo
Páginas: 322
Preço: R$ 39,90

Relacionados

Compartilhe

(0) Comente

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>