Mostra de Gostoso promove sessão de “Marighella” nas areias da praia do Maceió

Por Maria do Rosário Caetano

A Praia do Maceió, no pequeno município de São Miguel do Gostoso, deve mobilizar na noite dessa sexta-feira, 26 de novembro, o maior público cinematográfico de sua história. E por que?

Porque “Marighella”, de Wagner Moura, será exibido em gigantesco telão, sob a luz do luar e das estrelas, para moradores locais e turistas sentados em espreguiçadeiras ou deitados em cangas. Ou em pé. Como o filme protagonizado por Seu Jorge dura exatos 149 minutos, é aconselhável que todos providenciem espaço de conforto.

“Marighella” é o longa convidado da noite inaugural da oitava edição da Mostra de Cinema de Gostoso, que agita anualmente o balneário potiguar, desde que foi criada pelo cineasta e produtor Eugenio Puppo.

O festival, o mais badalado do Rio Grande do Norte, nunca teve intenção de ser vitrine de filmes inéditos, mas estabeleceu como prioridades investir em formação de mão-de-obra para o audiovisual e na conquista de espectadores ativos e críticos. Daí a aposta em filmes que dialoguem com a juventude e em oficinas de formação técnica.

Até terça-feira, 30 de novembro, serão apresentados onze filmes de curta e longa-metragem. No encerramento – dia de entrega dos prêmios Luiz da Câmara Cascudo, homenagem ao grande folclorista potiguar – será exibido o drama histórico “A Viagem de Pedro”, de Laís Bodanzky. Trata-se de filme que aposta mais no íntimo que no épico, em história complexa, que em intrigas da Corte. Embora haja imensa rivalidade entre Pedro I (Cauã Reymond), que renunciou ao posto de Imperador do Brasil, em benefício de seu filho, o infante Pedro II, para tentar retomar o Reino de Portugal, comandado por seu irmão Miguel (Isac Graça).

Como a história inteira se passa em 1831, com Dom Pedro em alto mar, dentro de um navio da Marinha britânica, rumo a Portugal, o irmão Miguel só aparece nos tumultuados pensamentos do ex-imperador brasileiro. E para acusar o irmão “brasileiro” de ser odiado pelos lusitanos, já que foi capaz de ato insano – proclamar a independência da imensa colônia.

No navio, além da tripulação comandada pelos ingleses, há marinheiros, ajudantes e taifeiros de origem africana. Como dispomos de rarefeita documentação sobre tal viagem, a roteirista Laís Bodanzky e seus colaboradores puderam dar asas à imaginação, mas sem delirar.

Um forte elenco de apoio cerca o atormentado Dom Pedro (1798-1834), visto aqui não apenas como um priápico sedutor. Seja no espaço naval, seja em suas lembranças, veremos a Imperatriz Leopoldina (Luise Heyer), Domitila de Castro, Marquesa de Santos (Rita Wainer), o Comandante Talbot (Francis Magee), o Contra-Almirante Lars (Welket Bunguê), a Imperatriz Amélia (Victória Guerra), Dira (Isabel Zuaa), Dom João VI (João Lagarto), Carlota Joaquina (Luísa Cruz), entre outros.

O ator Cauã Reymond, apaixonado por esportes náuticos, em especial o surf, não poderá apresentar o filme ao público de São Miguel do Gostoso (e turistas vindos de Natal, situada a 100 km, e municípios vizinhos), pois está gravando a novela “Um Lugar ao Sol”, de Lícia Manzo, da qual é o protagonista absoluto.

Na competição de longas-metragens (a escolha é feita pelo voto do público) estão o cearense “Cabeça de Nêgo”, de Déo Cardoso, o paulista “A Felicidade das Coisas”, de Thais Fujinaga, e o carioca “Rolê – Histórias dos Rolezinhos”, de Vladimir Seixas. Duas ficções e um documentário. Três filmes jovens.

De cara dá para prever que a disputa será acirrada entre “Cabeça de Nêgo” e “Rolê”. E por que? Porque ambos dialogam com a moçada. O primeiro, então! Quem é habituê da Mostra de Gostoso assistiu à consagração do filme “Escolas em Luta”, sobre a ocupação de instituições secundaristas paulistanas, poucos anos atrás. Foi um delírio. Imaginemos, agora, o que ocorrerá com o longa cearense, protagonizado por jovem negro que, escorado em ideias de Angela Davis, Malcolm X e dos Panteras Negras, luta pela melhoria de sua escola?

O documentário “Rolê” também tem seus atrativos, pois parte das manifestações de jovens periféricos que foram, em grupos – principalmente em 2013 – visitar shoppings centers frequentados pela classe média branca e, assim, denunciar o racismo estrutural brasileiro.

Já a ficção de Thaís Fujinaga, coproduzida em parceria com a turma mineira dos Filmes de Plástico (André “Temporada” Novais e trupe) é delicada e conquistou, na Mostra Internacional de Cinema de São Paulo, o Prêmio Abraccine (Associação Brasileira de Críticos de Cinema). Mas, perto dos agitos do “Cabeça de Nêgo” e dos Rolezinhos, parece mais um filme de câmara. Contido, lacunar, delicado, como sua diretora e roteirista, uma paulistana de origem japonesa.

Os curtas-metragens da competição da mostra miguelina são os potiguares “Fole”, de Lourival Andrade, “Sideral”, de Carlos Segundo, e “Vale do Vento Eterno”, de Pedro Medeiros, o carioca “Portugal Pequeno”, de Victor Quintanilha, e os paulistas “Céu de Agosto”, de Jasmin Tenucci, e “Tereza Joséfa de Jesus”, de Samuel Costa.

O festival do Rio Grande do Norte, que este ano volta a reanimar a capital do kitesurf brasileiro, reassume versão presencial, depois de edição on-line. O que não acontecerá é a exibição de filmes produzidos em São Miguel do Gostoso. Anualmente, um (ou dois) curta-metragem era realizado no município potiguar, fruto de oficinas ministrados por importantes realizadores e técnicos brasileiros. Com a pandemia, tais oficinas foram temporariamente suspensas. Um dos filmes miguelinos rompeu as fronteiras do balneário de apenas 10 mil habitantes (somando zona urbana e rural) e foi parar em festivais de prestígio como o de Gramado e o Cine Ceará!

 

VIII Mostra de Cinema de São Miguel do Gostoso (Rio Grande do Norte)
Data: 26 a 30 de novembro
Com a exibição de cinco longas-metragens e seis curtas
Em cinema montado ao ar livre na Praia do Maceió (tela de 12m x 5m, projeção com resolução 2K e som 5.1)
Realização: Heco Produções e do CDHEC – Coletivo de Direitos Humanos, Ecologia, Cultura e Cidadania
Direção geral e curadoria: Eugenio Puppo e Matheus Sundfeld
Mais informações: http://mostradecinemadegostoso.com.br

Relacionados

Compartilhe

(0) Comente

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>