Marlon Riggs em retrospectiva inédita

Cineasta, ativista e professor universitário, Marlon Riggs (1957-1994) escreveu e dirigiu filmes que celebram as comunidades negra e gay nos Estados Unidos dos anos 1980 e 1990, documentando suas estratégias de sobrevivência e resistência. Neste mês de junho, marco do Orgulho LGBTQI+, toda a filmografia do diretor é exibida pela primeira vez no Brasil.

Intitulada Bixaria Negra – O cinema de Marlon Riggs, a mostra acontece nas cidades do Rio de Janeiro e de São Paulo. Na capital carioca, a seleção já inaugurou e fica em cartaz até 30 de junho, no IMS Rio e no Galpão Bela Maré. Já em São Paulo, a retrospectiva começa nesta quarta-feira (22 de junho) e vai até 29 de junho no IMS Paulista. A curadoria é do pesquisador e cineasta Bruno F. Duarte, cujo mestrado pela Escola de Comunicação da UFRJ aborda a produção de Riggs.

A mostra apresenta oito filmes, incluindo longas, médias e curtas-metragens, dirigidos por Riggs entre as décadas de 1980 e 1990, além de um documentário sobre sua vida e obra. Para enfatizar a potência e atualidade da produção do cineasta, a mostra exibirá, em diálogo, nove curtas-metragens brasileiros contemporâneos, realizados por jovens cineastas negres LGBTQI+.

Nascido no estado do Texas, no Sul dos EUA, em 1957, Riggs graduou-se em História na Universidade de Harvard e obteve o título de mestre em jornalismo na Universidade da Califórnia em Berkeley, onde iniciou sua trajetória no audiovisual. Entre 1981 e 1994, escreveu, produziu e dirigiu filmes que abordam questões de raça e sexualidade, marcados tanto por extensa pesquisa quanto pela experimentação de linguagem. Suas obras foram exibidas em festivais e mostras de cinema, onde obteve premiações importantes, mas também na TV pública, gerando inúmeros debates na sociedade americana. Em 1994, aos 37 anos, Riggs teve sua vida interrompida em decorrência do HIV/Aids.

Entre os títulos apresentados na mostra, está Línguas Desatadas (Tongues Untied), filme mais conhecido de Riggs, lançado em 1989. Nas palavras do próprio cineasta, trata-se de “um documentário que tenta desfazer o legado de silêncio sobre a vida de homens negros gays”. O diretor parte de sua própria experiência para criar um ensaio experimental, no qual estão presentes diversos artistas e linguagens, como a performance, o vogue, a poesia e o rap, entre outras. Vencedor do Prêmio Teddy, no Festival de Berlim em 1990, o filme também foi alvo de censuras e ataques após ser exibido na TV pública nos EUA.

A mostra traz também o primeiro longa-metragem dirigido por Riggs, em 1987. Intitulado Do Estereótipo Negro (Ethnic Notions), o filme investiga as origens das imagens racistas presentes na cultura popular dos EUA. O tema da representação volta a ser abordado pelo diretor em Ajuste de Cor (Color Adjustment), de 1991, também exibido na seleção. O documentário percorre 40 anos de relações raciais nos EUA através da análise de programas de entretenimento exibidos em horário nobre da TV, examinando mitos e estereótipos veiculados pela cultura de massas.

Outro destaque é o filme Preto é… Preto não é (Black Is… Black Ain’t), finalizado postumamente em 1995, no qual o cineasta parte da receita de gumbo, um tradicional prato da culinária do sul dos EUA feito por sua avó, para complexificar o debate sobre as diversas experiências da negritude nos planos individual e coletivo. Vencedor do Prêmio dos Realizadores do Festival de Sundance em 1995, o longa intercala entrevistas com intelectuais, como Angela Davis, bell hooks e Cornel West, com performances do coreógrafo Bill T. Jones e do poeta Essex Hemphill.

Também serão exibidos quatro curtas-metragens dirigidos pelo cineasta ao longo de sua carreira.

A programação completa pode ser acessada em https://ims.com.br/cinema.

 

Mostra de filmes Bixaria Negra – O cinema de Marlon Riggs

Rio de Janeiro – IMS Rio - Rua Marquês de São Vicente, 476 – Gávea
Até 30 de junho
Ingressos: R$ 10 (inteira) e 5 (meia)

Galpão Bela Maré - Rua Bittencourt Sampaio, 169. Maré
Até 30 de junho
Entrada gratuita

São Paulo – IMS Paulista - Avenida Paulista, 2424
De 22 a 29 de junho
Ingressos: R$ 10 (inteira) e 5 (meia)

Os ingressos das sessões do IMS Rio e IMS Paulista podem ser adquiridos no site ingresso.com e na bilheteria dos centros culturais, para sessões do mesmo dia.

Relacionados

Compartilhe

(0) Comente

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>