O Festival Internacional de Curtas-Metragens de São Paulo, um dos cinco maiores do gênero no mundo, que chega à sua 25ª edição em 2014, será realizado entre os dias 20 e 31 de agosto, tendo como tema “Quebrando Muros”, uma homenagem aos 25 anos da queda do Muro de Berlim, que ocorreu em 1989, e a tantas barreiras que implodiram nesse tempo de novas comunicações.

A programação exibirá gratuitamente cerca de 400 filmes – selecionados entre mais de 3.300 inscritos – dos mais variados países em diversas salas de cinema e centros culturais da capital: Museu da Imagem e do Som (MIS), Cinemateca Brasileira, CineSesc,  Espaço Itaú de Cinema – Augusta, Centro Cultural São Paulo (CCSP), Cine Olido, Cinusp, além de CEUs e outros espaços do Circuito Municipal de Cultura.

Entre os destaques desta edição, está o programa “100 anos de Cortázar”, com filmes inspirados na obra do escritor argentino Julio Cortázar (1914 – 1984); o “Especial 3D”, com apresentação de curtas em 3D e a participação da realizadora e consultora de 3D Josephine Derobe (que cuidou dos efeitos especiais de “Pina”, de Wim Wenders, entre outros longas); uma prospectiva do cineasta brasileiro Joel Pizzini, incluindo seu novo curta “Mar de Fogo”; e uma mostra da University of Southern California, com curtas-metragens de faculdade de grandes nomes de Hollywood que estudaram na instituição, como George Lucas.

Também está na programação a 2ª edição do projeto Tomada Única, com curtas em Super-8 inéditos, realizados especialmente para o evento por diretores brasileiros que deixaram sua marca nesses 25 anos do festival.

Em setembro, durante a programação itinerante, o festival percorre as cidades de Ribeirão Preto, São José dos Campos e Jundiaí, no interior de São Paulo.

Desde 1990, quando Zita Carvalhosa, diretora do festival, realizou a primeira edição do evento, muitos realizadores passaram pelo festival, entre eles, então jovens cineastas que atualmente estão entre os grandes nomes do cinema brasileiro e internacional.

José Roberto Torero (“Pelé Eterno”, 2004) e Joel Pizzini (“500 Almas”, 2004) participaram do primeiro ano do evento, ao lado do francês Jean Pierre Jeunet (“O Fabuloso Destino de Amélie Poulain”, 2001). No início dos anos 1990, passaram pelo festival Cao Hamburguer (“O Ano em que meus Pais Saíram de Férias”, 2006), Beto Brant (“Eu Receberia as Piores Notícias dos Seus Lindos Lábios”, 2011), Paulo Sacramento (“Riocorrente”, 2013), Claudio Assis (“Amarelo Manga”, 2002) e o norte-americano Paul Thomas Anderson (“Sangue Negro”, 2007). Ainda na mesma década, Fernando Meirelles (“Cidade de Deus”, 2002), Walter Salles (“Central do Brasil”, 1998) e a argentina Lucrecia Martel (“Menina Santa”, 2003) participaram do evento.

Dos anos 2000 para cá, o festival recebeu nomes como Kleber Mendonça Filho (“O Som ao Redor”, 2012), Esmir Filho (“Os Famosos e os Duendes da Morte”, 2009), Selton Mello (“O Palhaço”, 2011), Caetano Gotardo (“O que se Move”, 2012), Juliana Rojas e Marco Dutra (“Trabalhar Cansa”, 2012), o argentino Gustavo Taretto (“Medianeras: Buenos Aires na Era do Amor Virtual”) e o uruguaio Michael Wahrmann (“Avanti Poppolo”, 2012).

Relacionados

Compartilhe

(1) Reader Comment

  1. Adorei essa revista!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>