Festival de Vitória homenageia Marcélia Cartaxo
Marcélia Cartaxo © Rodrigo Barbosa

Por Maria do Rosário Caetano

A vigésima-oitava edição do Festival de Cinema de Vitória será aberta nessa terça-feira, 23 de novembro, com homenagem à atriz paraibana Marcélia Cartaxo. A protagonista de “A Hora da Estrela”, Urso de Prata em Berlim, e de “Pacarrete”, que rendeu a ela prêmios em diversos festivais, incluindo o capixaba, vive, aos 58 anos, momento de imenso reconhecimento. Além de continuar atuando no cinema, no teatro e, esporadicamente, na TV, Marcélia vem dedicando-se à direção, já assinou quatro curtas e tem planos de estrear no longa-metragem.

Além de receber o Troféu Vitória – em cerimônia nessa terça-feira, às 19h, on-line (pela Innsaei TV) – a atriz paraibana fará jus a jóia exclusiva desenhada por grife capixaba e terá sua trajetória lembrada no Caderno da Homenageada. Trata-se de publicação que vem enriquecendo a bibliografia cinematográfica brasileira e do estado sudestino. Já integram a coleção dezenas de cadernos dedicados a, entre outros, Laura Cardoso, Zezé Motta, Paulo José, Gilberto Gil, José Wilker, Vera Fischer, Matheus Nachtergaele e aos capixabas Bernadete Lys, Orlando Bonfim, Claudino de Jesus, José Augusto Loureiro e Markus Konká.

Até dia 28 de novembro, o mais tradicional festival do Espírito Santo, vai mostrar nove longas-metragens (seis em competição), 72 curtas e 13 videclipes.

Na competição de longas, dois estados – Paraná e São Paulo – destacam-se ao fazerem representar-se por dois títulos cada um. De Curitiba chegam as ficções “Mirador”, de Bruno Costa, e “A Mesma Parte de um Homem”, de Ana Johann. Da capital paulista chegam o documentário “Máquina do Desejo”, de Joaquim Castro e Lucas Weglinski (sobre o Teatro Oficina e sua alma, o diretor-ator Zé Celso Martinez Correa), e a ficção “Mulher Oceano”, dirigido e protagonizado por Djin Sganzerla (e filmado no Japão e Rio de Janeiro). O Nordeste marca presença com o cearense “A Última Cidade”, de Victor Furtado, também ficcional. O sexto título da competição vem do Rio, “Noites de Alface” , de Zeca Ferreira.

Os 72 curtas-metragens programados pelo Festival de Vitória estão dividos em dez mostras. A principal – a de curtas brasileiros – reúne 23 títulos oriundos de diversas partes de nosso território. Um deles, “Ato”, de Bárbara Paz, participou, em setembro último, do Festival de Veneza. Outro, o amazonense “O Barco e o Rio”, de Bernardo Ale Abinader, causou sensação no Festival de Gramado.

A produção capixaba, se está ausente da competição de longas, conta com seis títulos na mostra regional. E também com videoclipes. Na competição dedicada a filmes de temática ambiental, um filme, em especial, deverá cativar o público – o belo documentário pernambucano “Yaôkwa – Imagem e Memória”, de Rita e Vincent Carelli. A atriz (de “Abaixo a Gravidade”) e seu pai (“Corumbiara”, “Martírio”) dedicam 21 minutos a tema que os apaixona há décadas – a relação dos indígenas com a natureza. E, também, com o cinema. Criador do Vídeo nas Aldeias, Vincent Carelli nunca fez questão de lembrar que as populações indígenas devem, elas mesmas, assenhorar-se dos meios de produção audiovisual para, com eles, construir suas próprias narrativas.

Outras mostras que costumam chamar atenção no festival capixaba são dedicadas ao cinema dirigido por realizadores negros e por mulheres. Há mostra de nome curioso, como a Corsária, e outras duas que não poderiam faltar na terra de Rodrigo Aragão – a de Cinema Fantástico – e de Bernadete Lys – Cinema de Borda (esta a única não-competitiva).

Três longas documentais terão sessões especiais (portanto não-competitivas) no festival capixaba. Na noite de abertura, a atração é prata-da-casa – “A Matéria Noturna”, de Bernard Lessa. Na noite de encerramento, o convidado é o carioca-pernambucano “Espero que Esta te Encontre e que Estejas Bem”, de Natara Ney, que narra uma grande história de amor construída de forma epistolar. A cineasta encontrou pacote de cartas em feira de variedades/antiguidades e, com determinação, saiu atrás dos amorosos missivistas.

No recheio das sessões especiais está um filme de perturbadora originalidade – “Limiar”, de Coraci Ruiz. Ao longo de 77 minutos, a cineasta e professora da Unicamp acompanha a transição de sua filha Violeta até ela transformar-se em Noah. E o faz com paixão e intensidade. Um filme único.

Competição de longas-metragens:

“A Última Cidade” (Victor Furtado, fic, CE, 70’)
“Mirador” (Bruno Costa, fic, PR, 95’)
“Máquina do Desejo” (Joaquim Castro e Lucas Weglinski, doc, SP, 110’)
“A Mesma Parte de um Homem” (Ana Johann, fic, PR, 99’)
“Mulher Oceano” (Djin Sganzerla, fic, RJ, 99’)
“Noites de Alface” (Zeca Ferreira, FIC, RJ, 79’)

Competitiva de curtas-metragens (Brasil):

. A Cambonagem e o Incêndio Inevitável (Castiel Vitorino Brasileiro e Roger Ghil, DOC, ES, 34’)
. Ato (Bárbara Paz, FIC, MG, 21’)
. Três Graças (Luana Laux, FIC, ES, 19’)
. Faz Vinte Anos (Tati Franklin, EXP, ES, 6’)
. Bestiário Invisível (Tati Rabelo e Rodrigo Linhales, DOC/EXP, ES, 12’)
. Calmaria (Leonardo Catapreta, FIC, MG, 24′)
. Per Capita (Lia Letícia, FIC, PE, 15’)
. Cercanias/Gatos (Sérgio Andrade, DOC, AM, 15’)
. Usina – Desejo Contra a Indústria do Medo (Amanda Seraphico, Clarissa Ribeiro e Lorran Dias, FIC, RJ, 16’)
. O Resto (Pedro Gonçalves Ribeiro, DOC, MG, 21’)
. Vagalumes (Léo Bittencourt, EXP, RJ, 19’)
. Hawalari (Cassio Domingos, FIC, GO, 15’)
. O Barco e o Rio (Bernardo Ale Abinader, FIC, AM, 17’)
. Gargaú (Bruno Ribeiro, DOC, RJ, 20’)
. Cinco Fitas (Heraldo de Deus e Vilma Martins, FIC, BA, 15’ )
. De Vez em Quando Eu Ardo (Carlos Segundo, FIC, MG, 15’)
. Prata (Lucas Melo, EXP, RJ, 21’)
. Portugal Pequeno (Victor Quintanilha, FIC, RJ, 20’)
. Coleção Preciosa (Rayssa Coelho e Filipe Gama, DOC, BA, 15’)
. Praia dos Tempos (Luan Santos, FIC, BA, 11’)
. Muxarabi (Natália Maia e Samuel Brasileiro, DOC, CE, 18’)
. Meus Santos Saúdam teus Santos (Rodrigo Antônio, DOC, PA, 14’)
. Cenas de Infância (Kimberly Palermo, ANI, RJ, 6’)

11ª Mostra Quatro Estações:

. Cacicus (Bruno Cabral e Gabriela Dullius, FIC, RS, 14’)
. Letícia, Monte Bonito, 04 (Julia Regis, FIC, RS, 19’)
. O Fio de Ariadne (Mozart Freire e Ton Martins, FIC, CE, 16’)
. Time de Dois (André Santos, FIC, RN, 11’)
. O Nascimento de Helena (Rodrigo Almeida, EXP, RN, 11’)
. “Macho Carne” (George Pedrosa, EXP, MA, 15’)

10ª Mostra Corsária

. Minha Bateria Está Acabando e Está Ficando Tarde (Rubiane Maia e Tom Nóbrega, DOC EXP, ES/SP, 27’)
. Os Últimos Românticos do Mundo (Henrique Arruda, FIC, PE, 23’)
. Mormaço (Carol Lima DOC, PE, 11’)
. Atlântida (Diego Locatelli, EXP, SP, 4’)
. Presente Maravilha (Jeã Santos, EXP, RJ, 3’)
. Há um Profeta nas Olaias, Tomem Cuidado! (Lucas Camargo de Barros, DOC, SP, 8’)
. Todos os Rostos que Amo se Parecem (Davi Mello e Deborah Perrota, FIC, MG, 14’)
. Casa de um Corpo Gasoso (Bruno Moreno, FIC, PI, 5’)

10ª Mostra Foco Capixaba:

. Uma Noite Sem Lua (Castiel Vitorino Brasileiro, DOC, ES, 27’)
. Nostalgia (Raphael Araújo, ANI, ES, 1’)
. Quimera (Luísa Costa Miranda, FIC, ES, 13’)
. Metamorfose Concreta (Carol Covre, Larissa Barreto e Narjara Portugal, EXP, ES, 3’)
. Ausência (Ricardo Sá, DOC, ES, 19’)
. Chamada a Cobrar (Edson Ferreira, FIC, ES, 20’)

8ª Mostra Outros Olhares:

. “A Terra em que se Pisar” (Fáuston da Silva, fic, DF, 24’)
. “A Beleza de Rose” (Natal Portela, fic, CE, 20’)
. “1º Turno” (Clementino Junior, fic, RJ, 15’)
. “Ouro Para o Bem do Brasil” (Gregory Baltz, doc, RJ, 17’)
. “Utopia” (Rayane Penha, doc, AP, 15’)
. “A Balada da Nobre Senhora” (Hsu Chien, fic, RJ, 15’)

6ª Mostra Mulheres no Cinema:

. “O Peixe” (Natasha Jascalevich, experim., RJ, 11’)
. “Espero o Dia da Nossa Independência” (Bruna Carvalho Almeida e Brunna Laboissière, doc, SP, 21’)
. “Em Caso de Fogo, Pegue o Elevador” (Fernanda Reis, fic, RS, 13’)
. “Fora de Época” (Laís Catalano Aranha e Drica Czech, fic, SP, 13’)

6ª Mostra Cinema e Negritude:

. “Olhos de Cachoeira” (Adler Paz, fic, BA, 22’)
. “Às Vezes Que Não Estou Lá” (Dandara de Morais, fic, PE, 25’)
. “25 Anos Sem Asfalto” (Fabi Andrade, fic, SP, 15’)
. “Forrando a Vastidão” (Higor Gomes, fic, MG, 15’)

5ª Mostra Nacional de Videoclipes:

. “Os Cara Tão de Brincadeira”, de Matheus Fighera. Artista: Igor Fuchs – 3’12
. “Bruta”, de Raymundo Calumby. Artista: Sandyalê – 5’32”
. “Salomé”, de Drica Czech e Laís Catalano Aranha. Artista: Naiá Camargo – 3’37”
. “Lockdown”, de Rodrigo Herenio Franco. Artista: Carga Pezada – 4’21”
. “Goat Talk”. de Diego Capeletti. Artista: AXANT – 2’29”
. “É só me Chamar”, de Lucas Sá. Artista: Paolo Ravley – 4’24”
. “The Wolves Are Never Tired”, de Thais Siqueira. Artista: Luana di Angelo – 2’28”
. “Tá Vendo seu Moço?”, de Juliana Segóvia e Pedro Brites. Artista: Karola Nunes – 4’42
. “Ararinha da Viola”, de Letícia Pires. Artista: Isis Broken – 3’25”
. “Não Conserve a Dor”, de Eduardo Christofoli. Artista: Black Bell Tone – 5’58”
. “Come”, de Flora Fiorio. Artista: Dan Abranches e Pe Lopes – 4’09”
. “Flores e Rifles”, de Raphael Correa. Artista: Gustavo Rosseb – 4’30
. “BXD Existe”, de Pamela Ohnitram. Artista: Xuxu ComXis (feat. Adrielle Vieira & Tiago Tk) – 3’50”
. “Corpo a Corpo”, de Jessika Goulart. Artista: Canto Cego – 4’39”
. “Dis-ritmia”, de Thais Lima. Artista: Criolina, Estrela Leminski e Téo Ruiz – 5’02”

4ª Mostra Nacional de Cinema Ambiental:

. “Yaôkwa – Imagem e Memória” (Rita Carelli e Vincent Carelli, doc, PE, 21’)
.“Nonna” (Maria Augusta Vilalba Nunes, anim./fic, SC, 10’)
. “Dois Riachões – Cacau e Liberdade” (Fellipe Abreu e Patrícia Moll, doc, BA, 10’)
. “Tapajós Ameaçado” (Thomaz Pedro, doc, SP, 25’)
. “What About Our Future?” (Cláudio Cruz e Jaime Leigh Gianopoulos, doc, Canadá, 25’)

3ª Mostra Do Outro Lado – Cinema Fantástico:

. “Planta Baixa” (Clara Martins Hermeto, fic, SP, 15’)
. “Jamary” (Begê Muniz, fic, AM, 15’)
. “Nunca Mais Me Vi” (Demerson Souza e Laysla Brigatto, anim., SP, 4’)
. “AR” (Marcelo Oliveira e William Oliveira, fic, PE, 10’)
. “Um Espinho de Marfim” (Luis Fernando Bruno, RJ, fic, 20’)
“Magnético” (Cassemiro Vitorino e Ilka Goldschmidt, doc, SC, 25’)

4ª Mostra Cinema de Bordas (fora de competição):

“Amor Sangue Dor” (Magnum Borini, SP, fic, 11’)
“A Última Porta” (Milton Santos, UF, fic, 20’)
“Jogo de Ideias” – Claudiney Ferreira entrevista Seu Manoelzinho

* Sessões Especiais

Fora de competição:

Sessão Especial de Abertura

“A Matéria Noturna” (Bernard Lessa, Doc, ES, 89′)
“Limiar” (Coraci Ruiz, Doc, SP, 77’)

Sessão Especial de Encerramento

“Espero que Esta te Encontre e que Estejas Bem” (Natara Ney, Doc, RJ/PE, 84′)

 

Festival de Cinema de Vitória
Data: 23 a 28 de novembro, na capital do Espírito Santo
Cerimônia de abertura nessa terça-feira, às 19h
Todos os filmes serão exibidos gratuitamente na plataforma InnSaei.TV
Mais informações: www.festivaldevitoria.com.br

Relacionados

Compartilhe

(1) Reader Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>