Animação para adolescentes, Documentário e a história que se quer contar, Som e Trilha Sonora – Limites e Interseções são as três oficinas gratuitas programadas para a 15ª Goiânia Mostra Curtas, que acontece entre 6 e 11 de outubro, em Goiânia. Para estas atividades, o Icumam abriu inscrições, de 11 de agosto e 16 de setembro, pelo site www.goianiamostracurtas.com.br.

Durante o festival, entre 7 e 10 outubro, das 14h às 18h, no Centro Cultural UFG, a dupla Alexandre Eschenbach e Andrea Nero se propõe a iniciar adolescentes, entre 12 e 18 anos, como animadores em Stop Motion, usando a técnica de pixilation. Segundo os ministrantes, a ideia é acessar o mundo da fantasia, usando o mundo real (imagens fotográficas) para criar histórias de forma interativa e divertida.

Para isso, um conjunto de ações práticas e de informação integram educação, comunicação e tecnologia, a fim de criar uma atmosfera mágica capaz de despertar um novo olhar sobre o mundo que nos rodeia e sobre o que somos capazes de realizar. Para esta oficina, não haverá análise curricular, as 20 vagas serão distribuídas entre os primeiros inscritos.

A oficina Documentário e a história que se quer contar vai se estruturar a partir das noções de produção de documentários à luz do entendimento de o que é o contemporâneo. Conduzida por Marcelo Pedroso e Mariana Lacerda, entre 8 e 10 de outubro, das 10h às 13h, no Centro Cultural UFG, o conteúdo a ser ministrado mantém relações com a produção audiovisual enquanto arma e dispositivo para se pensar e se posicionar em relação ao nosso tempo. Sendo assim, a atividade perpassa ideias para entender questões sobre memória, política, resistência, velocidades, existências e movências, para alcançar o desejo de se narrar histórias tendo como linguagem o filme.

O renomado coletivo O Grivo é esperado para compartilhar conhecimento sobre Som e Trilha Sonora – Limites e Interseções, de 8 a 10 de outubro, das 9h às 13h, no Sesc Goiás. Os participantes vão manter contato com a obra assinada por Marcos Moreira e Nelson Soares para discutir a função e as diferentes formas de utilização do som direto e de sons gravados nos mais diversos ambientes, na construção de um diálogo com a trilha sonora.

O programa também prevê a reflexão sobre possibilidades diversas de comunicação da trilha e do som direto com os conceitos e parâmetros formais articulados nestas mesmas obras. As perspectivas e funções estéticas adquiridas pelo som direto, ou atribuídas a ele, no processo de mixagem dos trabalhos audiovisuais também serão discutidas.

Relacionados

Compartilhe

(0) Comente

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>