Mostra reúne curtas nacionais exibidos nos festivais do último ano
"Nova Iorque", de Leo Tabosa

Nos dias 12 e 13 de março, o Itaú Cultural realiza a 5ª Mostra Curtas Premiados, com a exibição de um recorte das produções que se destacaram em mais de 21 festivais nacionais em 2018. A curadoria é do Núcleo de Audiovisual e Literatura do instituto, cuja equipe selecionou 19 títulos para serem exibidos presencialmente e online, entre cerca de 61 premiados em categorias que conquistaram o júri popular e a crítica. Como no ano passado, o instituto aposta na ampliação de sua grade com um espaço dedicado ao cinema, às terças-feiras, com foco na produção nacional por meio de exibições de filmes e outras expressões audiovisuais.

Os temas expostos nesta edição dialogam com os assuntos em evidência na sociedade, como diversidade, feminismo, questões raciais, inclusão e violência. São obras premiadas em diferentes categorias de gêneros variados, como ficção, animação e documentário, do Sul ao Norte do país.

Nesta edição, a seleção presencial e online é composta por duas animações, quatro documentários, onze ficções, um drama e um documentário em animação. No total, 11 curtas foram realizados por homens e oito por mulheres. Quatro das produções vêm da região Nordeste, duas da Norte, 10 do Sudeste, uma do Centro-Oeste e duas do Sul.

Além dos filmes em exibição no próprio instituto, o Itaú Cultural deixará, por 15 dias, seis produções para serem vistas por meio do seu site. De 11 a 22 de março, Impermeável Pavio CurtoMariaNáufragaO MalabaristaQue Som Tem Distância? Só Por Hoje estarão disponíveis no link www.itaucultural.org.br.

A partir das 19h da terça-feira, 12, primeiro dia da mostra presencial, a grade é composta por seis filmes. O primeiro, MC Jess, ficção de Carla Villa-Lobos, discorre sobre como a música ajudou a jovem Jéssica a superar suas inseguranças e preconceitos diários que enfrenta por ser negra e moradora na periferia. Na sequência, No Fim de Tudo, de Victor Ciriaco, traz o drama de Josy, interpretado por Silveiro Pereira, que sempre lutou pela aceitação de sua mãe, debilitada por uma doença degenerativa. A relação entre a mãe e o filho é retomada devido à doença. As longas tardes que passam juntos e os delírios provoca um estreitamento de laços que tardou a acontecer. Nova Iorque, primeira ficção de Leo Tabosa, relata o árido universo de um trio: uma professora atormentada por decepções e sonhos perdidos, interpretada por Hermilia Guedes; um único aluno com quem ela encontra empatia, na pele de Juan Calado, como personagem principal, que ainda sonha, apesar de ter sido abandonado pela mãe, e a sua rígida e intratável madrasta, papel de Marcélia Cartaxo.

A história de um velho mágico-escapista que coloca em prática um plano de fuga perfeito após ficar preso por décadas em uma prisão de segurança máxima é contada em O Homem na Caixa, de Guilherme GehrEm Quantos Eram pra Tá, o público se insere no cotidiano de três jovens negros estudantes da USP. A ficção de Vinicius Silva apresenta Dandara, aluna de Ciências Sociais, Luiz, de Teatro, e Vinícius, de Cinema, jovens que representam uma geração de negros e negras que acessaram universidades públicas nos últimos anos. Encerrando a programação do dia, Reforma, de Fábio Leal, conta o dilema de Francisco, um homossexual gordo que, apesar de ter uma vida social ativa, se debate com a insatisfação que sente em relação ao seu corpo.

Na quarta-feira, 13, segundo e último dia de exibição presencial, o público assiste à ficção de Júlia Leite, Ainda Não, sobre a visita inesperada da mãe de Marina, dias antes de seu aniversário. Catadora de Gente é Maria Tugira Cardoso, catadora de lixo há 30 anos. Por meio de um tocante depoimento, o filme de Mirela Kruel expõe as ideias a respeito da vida, dos preconceitos e da dura trajetória desta mulher, como tantas outras em sua condição no Brasil. Em Estamos Todos Aqui, os diretores Chico Santos e Rafael Mellim tratam do drama dos moradores da Favela da Prainha que estão prestes a perder seus barracos com a expansão do maior porto da América Latina se mistura com o drama de Rosa, expulsa de casa  por não se identificar como Lucas, e obrigada a construir seu barraco na comunidade.

Segue-se a este filme, Guaxuma. Animação dirigida por Nara Normande, ele traz as lembranças da infância da própria diretora do tempo em que ela e sua amiga Tayra brincavam na praia alagoana de mesmo nome. O curta-metragem de Lucas Rossi, O Vestido de Myriam, apresenta o dia a dia sobre o pacto de um casal de idosos, que, apesar de sempre estarem juntos, convivem com a solidão. A rotina de dois funcionários de um grande supermercado, Magno, o segurança, e Bismarck, o caixa, é exibida em Vigia, dirigido por João Victor Borges. Encerrando a 5ª Mostra Curtas Premiados, Você Não me Conhece, documentário de Rodrigo Séllos revela a coragem e força de uma mulher vítima de estupro de se manter de pé e ajudar outras mulheres.

Exibições online

De 11 a 25 de março, o público terá disponíveis no site www.itaucultural.org.br, seis curtas-metragens. A ficção Impermeável Pavio Curto, de Higor Gomes, retrata a vida de Jaqueline, uma jovem de personalidade forte que precisa enfrentar as dificuldades no relacionamento com sua tia. Os processos de resistência de Maria, enquanto travesti na cidade de Manaus, são expostos no documentário de Elen Linth e Riane Nascimento, protagonista e roteirista. A ficção de Juh Almeida, Náufraga, também está na lista das produções disponíveis online. A obra apresenta as memórias de uma mulher caiçara.

O Malabarista, é um documentário em animação, dirigido por Iuri Moreno, sobre o cotidiano dos malabaristas de rua, que colorem a rotina monótona das grandes cidades. Depois do cárcere, Isaura tenta se reconectar com o mundo. Na prisão participou de uma iniciativa literária e, por meio do reencontro com companheiras do projeto, discorre sobre suas angústias. A dificuldade de se reconfigurar como mãe, mulher e humana é retratada em Que Som Tem a Distância?, de Marcela Schild. Encerrando a grade online, Só por Hoje, de Sabrina Garcia. A ficção conta a história de Olivia, uma mulher solitária e deprimida. Um dia tudo muda após receber uma carta por engano de uma reunião dos Alcoólicos Anônimos, que a faz olhar de volta para si mesma.

 

5ª Mostra Curtas Premiados
Data: 12 e 13 de março, às 19h
Local: Sala Itaú Cultural – 224 lugares – Avenida Paulista, 149, Estação Brigadeiro do Metrô, São Paulo – (11) 2168-1777
Classificação indicativa: 16 anos (cenas de sexo não explícito)
Entrada gratuita / Distribuição de ingressos: Público preferencial – uma hora antes do evento | com direito a um acompanhante / Público não preferencial – uma hora antes do evento | um ingresso por pessoa

Mostra online
Data: 
11 e 22 de março
http://www.itaucultural.org.br

 

Relacionados

Compartilhe

(0) Comente

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>